23/11/2020 voltar

Novembro Azul: confira a trajetória dos veteranos da Fórmula 1

Para marcar a campanha do Novembro Azul, confira a trajetória de alguns veteranos da Fórmula 1.

Em comemoração ao Novembro Azul, que é marcado por ações que dão visibilidade à saúde do homem e mostram o quanto é importante e necessário o cuidado e a qualidade de vida masculina, vamos trazer, a seguir, a trajetória de alguns pilotos veteranos da Fórmula 1, ex-pilotos e a história de alguns dos nomes mais antigos nessa modalidade.

  • Lewis Hamilton

Apesar de estar no auge de sua carreira, após a conquista do heptacampeonato mundial de Fórmula 1, o piloto já tem 35 anos e ainda assim exibe uma performance de dar inveja aos mais novos. Hamilton possui características frias e calculistas dentro da pista.

Não é à toa que o piloto se consagrou um dos “Grandes nomes da F1”, igualando o número de títulos mundiais a ninguém mais, ninguém menos que Michael Schumacher, além disso superou o recorde desse mesmo piloto no número de vitórias na carreira, com mais de 91 vitórias.

E os recordes não param por aí: Hamilton superou Schumacher no número de pódios, o alemão tinha 155 idas ao pódio. Em 2020, o piloto britânico conquistou o maior número de títulos por uma equipe – a Mercedes, foram seis títulos ao lado dessa grande montadora.



  • Sebastian Vettel

Vettel, aos 33 anos, carrega consigo uma grande bagagem e estampou seu nome entre os grandes da F1, pois se tornou o mais jovem campeão da principal categoria do esporte a motor e ainda tem 53 vitórias, 57 poles, 121 pódios e quatro títulos mundiais ao longo de 254 GPs disputados.

E neste ano, acabou perdendo seu lugar na Ferrari para Charles Leclerc, apesar disso, já prospecta seu futuro diante da nova equipe – a Aston Martin, e fez diversas declarações que está animado diante desse novo desafio e que quer colocar a equipe para “brigar” entre as grandes equipes que lutam pelo título do próximo ano.



  • Romain Grosjean

O piloto francês de 34 anos, que conquistou diversos prêmios e campeonatos na Fórmula 3 e na GP2, estreou na F1 na metade da temporada de 2009 pela Renault e ficou dois anos afastado após retornar à F1, em 2012, com a Lotus. Após esse retorno, teve altos e baixos em sua carreira e em 2020, a equipe atual, a Haas, anunciou que o piloto deixará a equipe ao final da temporada atual.



  • Kimi Räikkönen

O finlandês de 41 anos já está no time dos pilotos mais velhos que estão participando da F1. Räikkönen, que foi campeão da temporada de 2007, e vice-líder de 2003 e 2005, corre atualmente pela equipe Alfa Romeo e ainda é considerado o melhor piloto da história da Finlândia.

Tanto é que em 2007, mudou para a Ferrari e se tornou o piloto mais bem pago da história do automobilismo, com a bagatela estimada em US$ 51 milhões por ano.

Para 2021, Räikkönen segue na Alfa Romeo, ao lado de Antonio Giovinazzi.



  • José Carlos Pace
O brasileiro, conhecido por Moco, estreou na F1 em 1972 pela Williams, e na Brabham viveu o ápice de sua carreira. Em 1975, conquistou sua primeira e única vitória e detalhe, em casa. Em 1977, aos 32 anos, teve a vida e a carreira interrompida, após um acidente de avião.



  • Emerson Fittipaldi

Quase impossível falar de F1 e não mencionar esse nome, que fez sua estreia em 1970 e levou o título em cima de seu rival Jackie Stewart em 1972. Se consagrou o campeão mais jovem, aos 25 anos - esse recorde só foi batido 30 anos depois por Fernando Alonso. Conquistou, ao longo de sua carreira, dois títulos mundiais, participou de 144 GPs, teve 14 vitórias, 6 poles e 35 pódios.

Além de sua carreira como piloto, Fittipaldi, que hoje tem 73 anos, fundou com seu irmão a primeira escuderia inteiramente brasileira do grid, a Fittipaldi.



  • Nelson Piquet

O icônico piloto, que atualmente tem 68 anos, foi o primeiro brasileiro a conquistar um tricampeonato na F1. Estreou na categoria em 1978. Em 1981, conquistou seu primeiro título. Pela Williams, foi autor da maior ultrapassagem da história da Fórmula 1, sobre Ayrton Senna, que estava em ascensão pela Lotus.

Piquet participou de 204 GPs, conquistou três títulos, teve 23 vitórias, 24 poles positions e 60 pódios.



  • Ayrton Senna

O ídolo brasileiro e mundial estreou em 1984 na Fórmula 1 e, em 1988, marcou o início de uma era histórica, assinando com a McLaren e protagonizou uma das maiores rivalidades da F1, com Alan Prost.

Senna conquistou três títulos mundiais, em 161 GPs disputados, 41 vitórias, 65 poles, 80 pódios, 2.982 voltas na liderança e 19 voltas mais rápidas.

Em 1994, com 34 anos, após um grave acidente no GP de San Marino, em Ímola, na Itália, o piloto foi declarado como morto, dando início ao majestoso legado de Senna.



  • Rubens Barrichello

Rubinho como é carinhosamente conhecido tem 48 anos e foi o piloto que mais disputou corridas na história da Fórmula 1, com 323 Grandes Prêmios, teve 11 vitórias, 14 poles e 68 pódios, mas apesar destes números, o piloto não tem nenhum título na F1.

Apesar disso, foi o piloto brasileiro que teve a carreira mais longa na categoria, tendo competido por 19 anos. Após a morte de Senna, Barrichello passou a ser o único representante brasileiro na competição. Rubinho deixou as pistas e se aposentou da F1 em 2011.



  • Felipe Massa

O piloto de 39 anos estreou oficialmente na Fórmula 1 em 2002 e, quatro anos após, aceitou o convite para correr pela Ferrari ao lado de Michael Schumacher. Teve ótimos resultados diante da escuderia italiana e, em 2009, sofreu um grave acidente após ser atingido por uma mola que teria se soltado do carro de Rubens Barrichello. Um ano após, retornou às competições, onde permaneceu até 2016, quando anunciou sua aposentadoria.

Massa disputou 269 GPs, teve 11 vitórias, 16 poles positions, 41 pódios e nenhum título.



Essa lista de grandes nomes e veteranos da Fórmula 1, reforça que apesar da idade, os pilotos devem cuidar da sua saúde para ter longevidade e resistência diante dos carros superpotentes.

Mas engana-se quem acredita que somente esportistas devem ter atenção com a saúde, pois essa deve ser uma ação de todos os homens, e é o que alerta a campanha do Novembro Azul. Por isso, faça como o Super Carros e apoie essa causa.

E se você quiser se sentir como os pilotos que estão nessa lista, clique aqui e adquira o ingresso para ter acesso ao Salão Super Carros. Pilote os simuladores de corrida com movimentos e estáticos, que garantem uma experiência única a você.














quero receber notícias